Blog

Caminhos de sucesso, Educação, Sonhos

Que tipo de filho deseja ter?

Imagine o seu futuro daqui a 5, 10, 15 ou 20 anos? Que tipo de filho deseja ter? Com que postura no trabalho deseja que ele venha a ter? Que opinião deverá ter sobre si mesmo? E como serão as relações com os seus amigos? E como será a relação com ele mesmo?

No nosso curso – Super Pais, há um módulo em que gosto de trabalhar com os Pais e que permite desenhar a sua Visão (casal, sempre que possível) a médio e longo prazo, descrevendo quais seriam os resultados de uma vida em família, passados todos esses anos.

Curioso ou não, é uma daquelas atividades em que os Pais, na sua esmagadora maioria, nunca refletiram sobre isso, muito menos conversar com a sua cara-metade para saber o que cada um pensa sobre o futuro em conjunto, e do que pretendem dos filhos que venham a ter.

Um autor de referência na área empresarial, de seu nome Stephen Covey, tem um excelente ponto de vista – se quiser algo, dê início ao processo sempre com a meta final em vista.

Numa vida em casal, programar a vinda de um filho é sempre um momento muito especial e único na vida de qualquer pessoa, por vezes, antes mesmo de ele nascer, já se compram as roupinhas, remodela-se o quarto e personaliza-se com as cores que vão dar cor à vida do nosso filho. Mas depois esquecemos de pensar no futuro dos nossos filhos e do que desejamos para eles, pelo menos, numa conversa aberta do casal, com ideias bem definidas do que cada um acha e do que pretendem que seja o guia do casal ao longo da vida.

Por outras palavras, dedique algum tempo com a sua cara-metade e pense no seguinte:

– Se quiser ter filhos meigos, ensine-os a ser assim desde pequenos;

– Se quiser ter filhos que venham a tornar-se adultos responsáveis, transmita essa responsabilidade desde pequenos;

– Se quiser ter filhos que gostem de passar tempo consigo, comece já a pôr umas horas de lado para passar tempo com eles, evitando perder-se na correria do seu dia a dia;

Enfim, eu poderia continuar com as sugestões, mas estou certo de que já compreendeu a importância do tema e como pode coloca-lo em prática. Mesmo que os seus filhos já estiverem mais crescidos, insista e dê o melhor de si para ter os filhos que tanto deseja na sua família.

Aprendizagem, Caminhos de sucesso, Empreendedorismo

Estás a pensar criar um negócio?

Se estás a pensar criar um negócio ou passar a trabalhar (também) como profissional independente, há 6 coisas que não te devem faltar:

  1. Um Plano de Vida – deves avaliar cuidadosamente aquilo que pretendes da vida, em todos os seus aspetos.
  2. Uma ideia de negócio sólida – o que queres desenvolver corresponde a uma (ou várias) necessidade? Tens de ter experiência ou formação profissional, ou ela já te será disponibilizada?
  3. Crédito excecional – começar um negócio pode ser dispendioso e pode demorar algum tempo até que tenhas o retorno do investimento. Se trabalhas por contra de outrem, não corras para entregar a tua carta de despedimento.
  4. Um plano de negócio – conhece as tendências e certifica-te de que compreendes a extensão do potencial mercado para o teu produto ou negócio.
  5. Uma família ou cônjuge compreensivo – certifica-te que o teu cônjuge apoia-te na tua decisão.
  6.  – vais precisar dela nos dias em que as coisas não correrem bem.

E tu, qual é a tua experiência pelo mundo do empreendedorismo?

Aprendizagem, Caminhos de sucesso, Educação

1 Estratégia que pode fazer a diferença nos Exames Nacionais

Estamos a menos de uma semana do início dos Exames Nacionais e, para qualquer estudante que se está a preparar para o fazer, começa a sentir-se um pouco mais nervoso, a cada dia que passa, sendo por isso, muito importante estar bem preparado para esse grande dia.

E por falar em preparação, eu gostaria de partilhar consigo uma estratégia que se utiliza muito nos Desportos coletivos (eu, pelo menos utilizava quando era treinador de Futebol) e também nas Forças Armadas, que vai ajudar o seu filho(a) a estar completamente preparado, mais confiante e tranquilo nesse dia.

Se não quiser ler, poderá escutar AQUI.

A estratégia chama-se: Treinar como se estivesse no dia do Exame.

Quando eu estava no futebol de formação, enquanto Treinador, nós preparávamos os próximos jogos em função do adversário que iríamos defrontar. Por exemplo: nós treinávamos e fazíamos os nossos jogos oficiais num campo de relva sintética, mas quando íamos defrontar uma equipa adversária que jogasse num campo de relva natural, alguns dos treinos dessa semana iriam ser realizados num campo de relva natural, para que os jogadores pudessem estar o mais bem preparados para a realidade que iriam encontrar.

Então, qual é a minha sugestão?
Que o teu filho(a) possa fazer exatamente o mesmo em relação à preparação do Exame.

Quero que tenha em sua posse entre 5 a 10 exames tipo, ou de anos anteriores ou de um livro de exames e nos próximos dias quero que simule que está a realizar o Exame, seguindo as mesmas condições que terá na escola, ou seja:
– Respeitar o Tempo
Colocar o telemóvel em modo de voo e ativar o alarme para quando faltarem 10 minutos para terminar o tempo regular e mais 10 minutos quando estiver para terminar o tempo de tolerância.

– Respeitar o Material que pode ter consigo
Se só pode ter uma caneta para realizar o exame, então em cima da sua mesa só poderá existir mesmo uma caneta e nada mais.

– Escolher um local sossegado da casa
Da mesma forma que vai encontrar na escola, escolher em casa um local onde não será interrompido e onde terá a tranquilidade necessária para realizar o Exame.

– Não ter acesso às soluções
Enquanto estiver a fazer o Exame, não deverá consultar as soluções nem pedir ajuda quando tiver dúvidas.

– Realizar esta atividade em pares
Por último, combinar com um colega dele que também vai fazer o mesmo exame, de preferência uma pessoa que tenha tido melhores resultados escolares ao longo do ano letivo, para ambos simularem que estão a fazer o exame. E isto para quê? Para que cada um deles possa enviar o exame realizado ao outro e assim possam corrigir o exame e explicar ao colega como poderia ter feito melhor, usando as suas próprias palavras e fazendo recurso dos seus conhecimentos da matéria.

E o que pode ganhar com esta estratégia?
1. Criar uma rotina que vai semelhante à que deseja ter no dia do exame;
2. Ao Treinar-se como se estivesse no dia do Exame vai aperceber-se de aspetos que pode melhorar, por exemplo, quando tem dúvidas em algum exercício tem tendência para perder tempo ou ficar mais nervoso. Com esta informação poderá procurar algum profissional que o possa ajudar a gerir estes momentos;
3. O facto de ter um colega com quem aplicar esta estratégia, onde poderá corrigir o seu exame, poderá ajudar a ter uma perspetiva e explicação diferente para a realização dos vários exercícios do Exame. Quando eu analiso e corrijo o exame, obriga-me a comparar respostas, formas de pensar que serão complementadas com a “discussão” em conjunto sobre as respostas. é uma forma diferente de aplicar o conhecimento que tenho, fazendo uso da minha mente para explicar ao meu colega, com as minhas próprias palavras.

E pronto!
Esta era a estratégia que eu queria partilhar consigo e que tenho a certeza que irá ser uma mais valia para o caminho de sucesso que o seu filho(a) já está a trilhar.

Aproveite e, se tiver dúvidas, comente ou envie uma mensagem.
Muito obrigado por ter lido este artigo! 🙂


Aprendizagem, Caminhos de sucesso, Líderes, Melhores pessoas, Motivação

Habilidade ou Sorte

Independentemente das nossas circunstâncias e condições atuais, quando algo nos acontece, o mais importante são as decisões que iremos tomar em função das “cartas” que temos nas mãos.

E o que devemos fazer para aumentarmos a probabilidade de sucesso nas nossas decisões?

Quanto mais desenvolvermos as nossas competências pessoais, melhores decisões iremos tomar e mais sorte, aparentemente, iremos ter. As consequências de cada decisão tomada podem ser vistas em dois patamares: pela negativa ou pela positiva, isto é, ou aprendo ou evoluo como pessoa.

Resumindo esta questão: as decisões são apenas decisões, a forma como interpretas o resultado de cada decisão é que vai determinar os teus resultados futuros e “rotular-te” como uma pessoa competente e com sorte!

Gostaste deste artigo? Deixa o teu comentário. 🙂
Queres continuar a receber estas pepitas de ouro? Clica em SEGUIR.
Gostavas que te pudesse ajudar? Escreve-me AQUI.

Aprendizagem, Educação, Líderes, Motivação

Exames Nacionais: uma estratégia para obteres melhores resultados

Estamos a pouco mais de um mês para o início dos exames nacionais, uma fase muito importante para os estudantes que, principalmente, pretendam entrar para a Universidade, estando dependentes de um bom resultado no teste. A definição do objetivo pretendido no Teste é uma das estratégias fundamentais para alavancar os resultados de qualquer estudante. Uma vez li que, numa Universidade Canadiana foi realizado um estudo sobre o estabelecimento de objetivos e concluiu-se que encontrar uma direção na vida e definir vários objetivos pode ajudar-nos a viver mais tempo, independentemente da idade em que descobrimos o nosso propósito. Neste artigo vou explicar-te como podes utilizar a definição de objetivos para alcançares o teu resultado desejado no Exame Nacional.

A primeira coisa que deves fazer é clarificar qual o objetivo que pretendes para o Exame. Se és avaliado de 1 a 20 valores, qual o número que desejas alcançar? Neste exercício poderás deparar-te com aqueles pensamentos do tipo,..”se eu conseguisse um 14 já era bom”, no entanto, o que pretendo é que definas e apontes numa folha qual é o objetivo que queres alcançar e não apenas o que eu acho que consigo. Se pensares bem, são duas coisas bem distintas.

A segundo passo é refletires sobre qual o resultado que desejas. Agora poderás estar a perguntar,..”Oh Nelson, mas isso já me pediste acima, não estás a falar do objetivo?”. Calma, quando te peço para refletires sobre o resultado é imaginares qual será o resultado de conseguires tirar XXX no Exame Nacional. Como imaginas esse momento e o que te irá proporcionar. Aproveitas a mesma folha onde apontaste o objetivo e descreveres o resultado que advém do teu objetivo.

O Terceiro passo é pensares no que podes fazer e esteja dependente apenas de ti, e que te ajuda a alcançar o objetivo que definiste.
O que vais ter de fazer? Quando e durante quanto tempo irás fazê-lo? Quem te irá ajudar? Onde vais querer fazê-lo? Como pretendes fazê-lo?
Na prática vais definir ao pormenor tudo aquilo que irás fazer e que acreditas que irá ajudar-te a alcançar o teu objetivo para o Exame. Pegas na folha que tens utilizado para apontar os dados acima e crias um plano de ações baseado naquilo que tu acreditas. A minha sugestão é passares esse plano para um horário semanal onde podes colocar todas as tuas tarefas em blocos e que possas visualmente identificar o que tens a fazer, em cada dia e em cada momento do dia.

O Quarto passo é iniciar cada dia visualizando o teu objetivo, lendo os resultados do teu objetivo e observando as tarefas que estão definidas para esse dia. Depois disto é começar a trabalhar.

O Quinto e último passo é falares contigo mesmo e com os outros do que vais conseguir, dos resultados que vais alcançares e do que estás a fazer para lá chegar. Independentemente do que os outros te disserem, durante este mês e meio, até ao dia do exame vais apenas e somente falar do que vais conseguir e vais ficar deslumbrado com os resultados que vais alcançar.

Gostaste deste artigo? Deixa o teu comentário. 🙂
Queres continuar a receber estas pepitas de ouro? Clica em SEGUIR.
Gostavas que te pudesse ajudar? Escreve-me AQUI.