Aprendizagem, Educação

Um dos melhores presentes que podes dar ao teu filho

Não há nada que faça uma pessoa chegar mais longe do que sentir-se capaz de conseguir aquilo a que se propõe concretizar. Como dizia Roosevelt: “Acredite que consegue e terá percorrido metade do caminho”.

Uma das histórias que ilustra muito bem a importância que os Pais têm na construção da confiança dos seus filhos é a seguinte:
– Era uma vez uma mãe que tinha dois filhos, de 5 e 7 anos de idade. Um dia a mãe decide sair de casa e deixar de forma irresponsável os seus dois filhos no quarto a brincar sozinhas. Sem se aperceberem um incêndio inicia-se na casa e os irmãos não dão por nada até sentirem o fumo das chamas a passar por debaixo da porta do seu quarto. Sem terem muito tempo para pensar, os irmão decidem ir à janela do quarto, abrem-na e com muito esforço conseguem desengatar a escada de emergência que estava do lado de fora do quarto, descendo em passo largo até à rua de sua casa. Estupefactos, vizinhos e curiosos comentavam tal proeza das crianças e decidem perguntar ao chefe de bombeiros, que por esta altura já se encontrava a comandar os seus homens para apagar o fogo, e questionar como tal foi possível. O Chefe de bombeiros sem qualquer dúvida afirmou: “Conseguiram descer porque não havia nenhum adulto ao pé que lhes dissesse que eles não iam ser capazes de fazê-lo sozinhas”.

Sabes que a confiança que os teus filhos têm depende diretamente da confiança que depositas neles. Se acreditas que o teu filho(a) é capaz, ages em consonância com essa tua crença e não “controlas” todos os seus passos.

Para ajudares a desenvolver a confiança do teu filho(a) partilho contigo uma sugestão muito prática e simples. Quando o teu filho se depara com um obstáculo ou desafio pela frente, ao invés de lhe dizeres como deve fazer, pergunta-lhe como ele acredita que pode fazer. Deixa-me dar um exemplo. Vamos aproveitar o momento atual de início de ano letivo. Se pretendes que o teu filho melhore os seus resultados escolares pergunta:
1. Qual é o objetivo que pretendes alcançar este ano letivo? Que média pretendes alcançar?
2. O que podes fazer e que depende só de ti, que te irá ajudar a alcançar esse objetivo?
3. Quando estás disposto a começar essas ações?
4. No final do primeiro período analisamos em conjunto o que correu menos bem e o que correu bem, colocando do lado dele(a) a reflexão sobre os seus próprios desempenhos.

Quando parte da crença do teu filho a resolução dos seus próprios problemas, há uma maior satisfação interior e sensação de crescimento pelo facto de ser ele(a) a definir as suas próprias estratégias e a passar pela experiência de as ultrapassar.

Experimenta!
Reconhece o esforço do teu filho(a)!
Vibra com ele nas suas vitórias e apoia-o nos seus fracassos!

Aprendizagem, Caminhos de sucesso, Linguagem Corporal

Posturas de Poder

Esta semana trago-vos uma Fantástica dica para colocarem em prática e que garantirá grandes resultados.
Tudo começa com uma professora da Universidade de Harvard que realizou uma investigação bastante interessante e pertinente. Ela costumava observar um conjunto de alunos nas suas aulas visto que era e, ainda é, professora, e o que ela reparou foi que os alunos que tinham uma postura mais encolhida, normalmente os mais introvertidos, apesar de terem muito conhecimento, tinham maior dificuldade em participar na aula.
 
 
 
DesesperoCom o tempo começou a questionar-se quanto à possibilidade de mudar a linguagem corporal e se essa mudança possibilitaria alterar a frequência com que os alunos interviriam em sala de aula. 
Para este estudo houveram duas hormonas muito importantes em análise:
1. Testosterona que é uma hormona que está associada a estados de Poder Pessoal, de confiança, de assertividade, mais optimistas, arriscam mais.
2. Cortisol que é uma hormona que está associada a estados de incapacidade de nos adaptarmos a situações novas, normalmente a hormona da ansiedade.
 
Bem-sucedidoPara o estudo ela teve a participação de várias pessoas a quem lhes foi pedido para realizarem Posturas Poderosas, e a outros para realizarem Posturas Fracas (em que se fazem de mais pequenas do que realmente são, por exemplo, braços cruzados, ombros encolhidos, cabeça baixa).
No final desse exercício ela media na saliva a concentração hormonal, o ritmo cardíaco e o ritmo respiratório.
 
A conclusão a que ela chegou foi surpreendente:
A hormona Testosterona aumentou com as Posturas Poderosas e desceu com as Posturas Fracas. E a hormona Cortisol aumentou com as Posturas Fracas e diminuiu com as Posturas Fortes. E sabem em quanto tempo estas alterações se deram no organismo das pessoas? Em DOIS MINUTOS!!!
 
DOIS MINUTOS de Posturas Poderosas ou Posturas Fracas irá condicionar a nossa bioquímica, e se influencia a nossa bioquímica irá influenciar aquilo que pensamos.
 
Assim, Posturas Poderosas são Posturas em que você se faz de grande, se estica, ocupa mais espaço. Por exemplo, quando um jogador marca um golo e estica os braços tipo V (porque se sente poderoso),.faz sentido?
 
group of happy smiling summer children jumpingQuando estiverem a ser avaliados, por exemplo, numa reunião de trabalho, Palestra, entrevista de emprego, ou simplesmente em conversa com amigos, experimentem antes disso acontecer, realizar uma Postura Poderosa por DOIS MINUTOS, o que permitirá melhorar imenso a forma como estaremos a pensar e a confiança que daí se irá gerar. Não se trata do conteúdo da comunicação mas sim a forma como falamos,.. confiantes, apaixonadas, entusiásticas, autênticas, confortáveis, sendo avaliadas muito mais positivamente do que pessoas com Posturas Fracas.
Como a Autora refere,..PEQUENOS AJUSTES podem levar a GRANDES MUDANÇAS!
 
Experimentem!