Aprendizagem, Caminhos de sucesso, Educação, Líderes

Para pais e mães,…é tão fácil Liderar pelo Exemplo

Ainda neste fim de semana vi um exemplo tão bonito de uma mãe com o seu filho e que demonstra claramente como é tão fácil Liderar pelo Exemplo os mais novos. Continue reading “Para pais e mães,…é tão fácil Liderar pelo Exemplo”

Caminhos de sucesso

Educar para o Sucesso

No dia 3, 4 e 5 de Maio irá realizar-se na Exponor (Matosinhos) a 5ª edição do Salão Ser Mamã. O Salão Ser Mamã assume-se como um espaço privilegiado que apresenta serviços na área da família, educação, formação e entretenimento. Depois do sucesso das edições anteriores, o Salão regressa com mais novidades, ideias e soluções para oferecer um ambiente impregnado de criatividade e repleto de atividades diversificadas. Continue reading “Educar para o Sucesso”

Melhores pessoas, Relacionamentos

Sou o melhor amigo do meu filho!

Nunca é demais estarmos atentos a todas as informações e atitudes que devemos ter com os nossos filhos, nesta difícil tarefa que é educá-los. Aqui fica mais uma reflexão do Dr. Quintino Aires.

“Esta é uma das frases que mais me assusta ouvir. Talvez por vivermos numa sociedade com níveis bastante elevados de solidão, os pais e as mães resolveram que não iriam perder tempo procurando amigos, e assumem-se como os melhores amigos dos próprios filhos. É claro que os pais são amigos dos filhos, mas amigos no sentido em que se tem afeto pelos próprios filhos, não no sentido em que a relação entre dois se organiza com base na amizade. Os laços emocionais entre pessoas são muito específicos, e confundir o Afeto entre pais e filhos, a Amizade entre amigos, ou o Amor entre dois adultos produz sempre alguma falha.
A amizade rege-se pela cumplicidade numa relação entre pares, entre dois iguais, enquanto o afeto se enraíza numa relação de cuidados de um para com o outro, numa relação assimétrica, na qual um cuida e o outro é cuidado. Se a mãe ou o pai sai do seu papel para assumir o de Amigo, quem fica no lugar de Pai ou de Mãe?
E se o lugar já está ocupado por um dos progenitores, por quem a criança e o jovem têm um carinho especial, como vai ele conseguir “abrir vagas” para todos os outros que deveria escolher? Como vai permitir que entrem novas pessoas na sua vida sem trair “o melhor amigo”? Vai ficar em casa dos pais para sempre? E se é uma relação de “pares”, de iguais, numa situação de perigo quem protege quem? A mãe grita e o filho vai socorrê-la?”

Fonte: Quinze Minutos com o seu Filho

Melhores pessoas, Relacionamentos

Três regras fundamentais para construir uma boa relação com os filhos

Para que possamos construir laços muito fortes entre pais e filhos, Quintino Aires aconselha, vivamente, o respeito escrupuloso de três regras fundamentais. Com estas regras, os pais irão conseguir uma relação que construirá o cérebro e a personalidade dos seus filhos, de forma saudável.

1- Nunca, mas nunca, inicie uma relação dialógica se está preocupado com algum assunto. É preferível perder esta semana do que estragar o trabalho relacional que já fez nos outros dias. Se tiver alguma perturbação na sua cabeça, ela vai perturbar a sua atenção, e uma relação por natureza seria muito agradável, será sentida por is como aborrecida, irritante, e não terá vontade de a repetir.

2- Nunca, mas nunca, inicie um momento de relação dialógica se tem pouco tempo ou se está atrasado para um compromisso. É como se lhe mostrasse que ele não é suficientemente importante para si, e instala-se nele um acentuado sentimentos de tristeza e revolta.

3- Nunca, mas nunca, inicie um momento de relação dialógica se está muito zangado com o seu filho. Ignorar esse seu estado é perigoso, porque os seus sentimentos do momento vão passar para a relação que, em vez de ser dialógica, se tornará não-dialógica.

Como conclusão, avalie a sua responsabilidade mas nunca se culpe. Educar um filho é a mais complexa de todas as artes.

Pensamento sempre Positivo!